Total de visualizações de página

domingo, 24 de março de 2013

Depois de certa idade


Depois de certa idade,
Fica mais difícil ter zanga por coisa pouca.
Guardar rancores por muito tempo,
Porque quem sabe quanto tempo ainda?

Depois de certa idade,
O tudo que pensamos saber não tem valia,
Porque todo dia se descobre, muita coisa pra aprender!

Depois de certa idade,
Percebe-se antes de ser percebido,
Ouve-se, mesmo que falem escondido,
Porque dessa vida o perigo ,
Não é quem faz, mas quem insinua, ou manda fazer.

Descobri, depois de certa idade,
Que viver sob pressão desumaniza
Que viver soltando farpas entristece
Que viver sem amor adoece, seca a alma

Bom mesmo é cheiro de flor, barulho de chuva,
Carinho sem motivo, cafuné de gente que se quer bem.
E depois de certa idade, descobrir que foi feliz,
Entregou-se, apaixonou-se, sofreu, amadureceu!

Depois de certa idade
Conta o que sabe, sem ser convencido,
Compreende tudo, apenas por ter vivido!
E se não viveu tudo, viveu o bastante.
E aprendeu assim, a ser um pouco mais tolerante!



Di Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário