Total de visualizações de página

sábado, 16 de fevereiro de 2013

SONHOS




Camisa no ombro.
Chuteira na mão, amigos chegados, vizinhos.
Companheiros de sempre, parceiros  da bola.
Já caminhando na volta da escola,
Julgava ser aquele um grande dia.
Entrevia o gramado, a vida boa!
A casa própria, a mãe feliz.
E toda a galera do peito,
Esperando a vez do craque detonar!
Demorou mas chegou o dia!
A bola rola, e o menino reza.
Alguém de certo verá sua habilidade!
Nunca teve maldade no coração.
Deus há de lhe ouvir a oração!
E se entrega com paixão, dá o sangue!
Joga como nunca!
Seria uma grande emoção vestir 
aquele manto azul e ter salário!
Aquela camisa com estrela no peito, lhe emocionava!
A expectativa da fama, se duplicava.
As portas abertas a cada passo.
O povo gritando gol,  a festa dos abraços!
Bom menino!
Era craque e sabia!
Precisavam descobrir!
Precisavam saber!
A bola rola.
Um chute, a baliza, um buraco, o gesso,
Fim e começo de sonho,
Apenas um grito, apenas um momento...
Precisava ser craque de  coração e sentimentos
Pra compor, e organizar novos sonhos.
Pra saber que nem tudo estava perdido,
E dentro das certas, tortas linhas que Deus traça,
Não se pode perder a fé, 
Não se deve perder o humor,
Nem se deve perder a graça 
De descobrir em si, novos caminhos,
Novos sonhos!

Di Vieira

NA BOA?




Tava assim na boa,
Descobri tua história.
Me apaixonei!
Descobri o mar  que havia nos teus olhos,
E sem pensar, mergulhei!
Me envolvi, me perdi, me achei,
Você fez chover no meu deserto,
Pelo errado ou pelo certo,
Me encantei!
Molhei-me em sonhos,
Acreditei, insisti, te absolvi,
E os erros foram tantos !
Desculpei!
Ah! Como errei!
Gastei tempo à toa!
Agora na boa?
Chega!!!


Di Vieira