Bela Ana



 Bela Ana, carente!
Sonha e mente, num sonho só seu.
Desfiando as ilusões no embaraçado fio da vida.
Retirando pedaços de rochas caídas,
Trilhando descalças as estradas,
 Às vezes sem saída

Cruzando a saga das flores,
Alem das linhas retas do conformismo,
Alem dos abismos que devoram sonhos,
Alem das estrelas e seus brilhos ofuscantes,
Alem dos muros e seus quintais.
Alem dos olhos e as impressões digitais.

Alem, muito alem!
Ana olhando as flores
Deslizando entre amores e afeições,
Rompendo barreiras, invadindo corações.
Ana caminha,
Sozinha no refúgio dos sonhos,
Por estradas conquistadas, cumpridas
Ana só, já quase sem vida!

Di vieira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Benditas estradas, sinuosos caminhos

Juliana

O que somos?