Total de visualizações de página

sábado, 20 de outubro de 2012

CORAÇÃO SOLITÁRIO


CORAÇÃO SOLITÁRIO

Sinto o gosto do teu beijo!
E nem a lembrança do teu sorriso,
Acalma em meu peito, esse coração que só te chama,
Ele te ama!
Não quero que esse amor acabe!!!
Não diga que não tem mais jeito!!!
Mas se quer matar esse nosso amor,
Venha aqui!
Mate direito!!!
Não quero sofrer assim!
A lua é o meu refúgio,
E espero com o tempo o coração parar,
De te amar!
A vida nesse momento é um tédio!
As minhas lembranças estão perdidas no tempo.
E eu, sem tempo pra viver,
Enquanto esse coração solitário,
Só pensar em você!

Di Vieira






GOODBYE





Todas as manhãs quando acordo,
Quero ir!
Toda as manhãs quero ir  e não sei porquê,
Desisto!
Insisto em você!!!
O brilho em nosso olhar,
Afogado em mágoas e ilusões!
Maneiras e palavras, mesmo pequenas,
São motivos pra brigar,
 Por tudo e até por nada de tão importante,
Sem pensar.
Que esse amor é uma loucura!
Que a gente não se entende mais!
Ah! Se ao menos eu conseguisse falar!
Se ao menos eu conseguisse dizer adeus...

Di Vieira



ASAS PRA VOAR.






Se você quiser,
Vou voar pelo céu azul,
E escolher pequenas estrelas pra te dar.

Se você quiser invento mil e uma história
Só pra te fazer feliz!
Só pra te fazer sonhar!

Quando o nosso dia escurecer,
Vou à lua, só pra te fazer lembrar,
Que  um amor assim como o nosso
Não pode acabar!

Quando um vento mau vier dizer,
Que amores assim estão no passado,
Olhe nos meus olhos e vai ver,
Que eu ainda estou apaixonado por você!

E se você quiser,
Vai ser pra sempre!
 Se você quiser acreditar,
Nosso amor terá eternamente asas pra voar!

Di Vieira





BREU




No breu da noite, quando estou sozinha,
E as dores e os medos querem chegar,
Tristeza, solidão, de onde vim e porquê!
No mundo em desolação, me refugio em você!
 Ouço o silêncio dos oprimidos,
Na madrugada te chamo,
Sei que me ouvirás,
Como prometeu farás,
É a certeza do cristão,
O mundo tu vencerás pelo poder da oração
 Quando na multidão, a solidão tem endereço
Quando a noite te oprime, e os dias são maus,
Posso te dizer que Jesus é real.
Essas dores e temores, solidão e opressão,
Vencerás com o poder da oração

É só crer!

Di Vieira


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

BEM DEVAGAR!




 Conto as teclas,
Pretas, brancas,  brancas, pretas.
Refaço os acordes que marcaram o tempo,
Lentamente me vem a mente a hora exata.
Oh vida ingrata! Mundo louco!
Poderia só por uma temporada,
Te ver enamorada, só por um instante! 
Só por um pouco! 
Desfrutar sua companhia,
Sua alegria!
Mas agora só o piano conta a história, daquele momento
Quando a tecla discordante, amarelava o andamento,
E o meu sonho explodia  como bolhas de sabão.
Ai, como você pôde!!!
Como eu pude me entregar tanto em vão!
O feltro cai leve, pede silêncio,
O sol se esconde em fa bemol ,
Que dó de mim, de você, que dó de nós, do sol!
Dessa dor reverberando em meu peito,
Dessa voz fria do teu abandono,
Me debochando, distraindo meu sono, 
Piano, piano!
Que noite é essa, sem lua, extensa!
Porque não para e pensa?
Pensa no bem que em tudo pode ter!
Pensa no poético coração partido!
Pensa nos amores que ainda vai viver,
Pensa no espaço, nas teclas brancas,
Na longa cauda, nos botões preto, 
Relaxa!!!
Logo tudo se encaixa e se harmoniza,
E suave como a brisa, as batidas do coração,
Marcarão o andamento,
A contagem vai recomeçar bem devagar!
Quem é feliz, não tem pressa!
A felicidade é um período, e período é tempo
E sendo tempo, o tempo certo só o tempo dirá!
Ah! E o seu tempo já chegou!
Ame a vida que escolheu,
Faça alguma coisa que sempre quis,
Porque hoje, é o seu tempo de ser feliz!



Di Vieira