Total de visualizações de página

terça-feira, 14 de maio de 2013

# Limitação




O silencio era quase total no elevador.
Exceto pelo barulho das ferragens antigas.
Sete andares, sete dias por semana.
Vencíamos quietos o longo corredor,
E parávamos em frente às portas.
Um dia, virou-se a bela vizinha, e me sorriu.
Sonhe comigo! Falou!
Deixou seu olhar passear pelo meu rosto,
Como se desenhasse cada traço.
Queria abraça-la!
Ela parecia querer meu abraço!
Mas curvei a cabeça, desviei o olhar.
Desejei abrir a porta e entrar acelerado,
Confundi as chaves todo atrapalhado,
E ela sorriu com segurança,
Percebendo o fascínio que tinha sobre mim!
Disse:"Mudarei amanhã,  sentirei saudades!
Sorriu mais uma vez e entrou,
Deixando-me às voltas com chaves e pensamentos,
No acanhamento atroz dos perdedores,
Bem longe do entusiasmo da paixão,
Vizinho do precipício dos amores,
Achegado ao silencio e a solidão!

Di Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário