#Segredos



Guardo um segredo entre os dedos,
Entre os grãos no silo da paciência,
Entre os graves tons, na cumplicidade da alma,
Na defesa pensada, calculada, imaginada.
Guardo segredos de várias formas,
Sem normas previstas, sem guarda costas,
Sem tempo de espera, sem apavoramento.
Com um modesto sofrimento,
Mas tranquilo a observar, os segredos de outras mãos,
Por entre os grãos entreabertos,
Por entre pequenos olhos de flores,
Que brotam lágrimas vez ou outra.
Lembranças de amores e bangalôs,
Pendurados na montanha do tempo,
Onde o vento canta seguidinho,
Canções sentimentais, com carinho,
Inflamando os amores ardentes,
Amores brigados, reatados bem aos poucos,
Segredos loucos, embrulhados em tempestade,
Guardando saudade nas curvas perdidas.
E eu digo, que é isso aí! 
Sim é isso! 
É a vida!



Di Vieira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Benditas estradas, sinuosos caminhos

Juliana

Luz, câmera, ação!