Total de visualizações de página

sábado, 21 de setembro de 2013

#Não!



Pode parecer confuso,
Mas sabe o que eu estava pensando agora?
Em você! Em nós!
Pela derradeira vez,
É o que eu espero!
Só que no fundo me recuso a esquecer!
E sinto às vezes, saudades da nossa vidinha.
Os beijos, os abraços, os selinhos,
Alguns ingredientes, secreto dos nossos carinhos!
No entanto a triste lembrança de suas mãos abanando,
Como se eu já fosse tarde,
Ainda me arde o peito, rasga-me a alma!
Guardo isso como lembrança, 
Uma cicatriz de guerra.
E você, guarde meu nome, meu cheiro,
A marca no travesseiro, que está solitário agora,
Ou jogue tudo fora,
Pra você, não valho mais nada mesmo!
Todavia, eu guardarei a minha história,
E a contarei do meu jeito,
Em respeito aos dias felizes que vivemos!
Essa é a minha história, essa eu conheço!
Sei que paguei um grande preço pela indecisão,
Deixei que cravasse suas garras em mim,
E assim, deixei de viver, pra respirar você!
Há quem diga, ser castigo pelos meus pecados!
Que pecado?  Amar, e querer ser amado?
O fato é que, se precisar de alguma coisa,
Pode me procurar!
E eu volto!
Volto, pra olhar na sua cara,
E dizer que não volto!
Volto, pra dizer que agora eu tenho vida!
Volto só pra dizer não,minha querida!
                                   


 Di Vieira



Nenhum comentário:

Postar um comentário