Total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de junho de 2013

#ASuspeita





                              
 
Ter você ao meu lado,
É navegar por mares desconhecidos,
É ouvir zumbidos, ter ouvidos aguçados
É temer ao ponto de enlouquecer,
É ouvir um até logo,
E atinar ser um adeus,
É ver de soslaio, um olhar,
Um sorriso gracioso,
E suspeitar!
É não ter certeza de nada,
E de tudo desconfiar!

Ter você ao meu lado,
É ser observado, rotulado,
E ignorar o porquê disso tudo,
E quase agradecer,
Ou dizer que não mereço.
É ficar me perguntando qual o preço,
Que um dia terei que pagar.
Mas espaireço olhando a delicadeza e a finura,
De tal criatura,
Que sou culpado por cativar.

Todavia, entretanto, porém,
Há noites em que o dormir não vem!
Desaparecem,como por encanto,
Você e o sono,
E eu, não consigo me tranquilizar!
Como pôde sair sem me avisar,
Se expor ao perigo, e me deixar?
Acalmo-me ao ouvir os seus passos,
Nem respiro, quando você se ajeita,
Entre a maciez das cobertas,
E faz-me esquecer das suspeitas.

Com os olhos abertos, eu e minhas vontades,
Carecemos do perfume do teu colo,
Sabemos da falta que você faz!
Nem tento afastar a mão macia que me amima,
Ou o corpo delicado, que me faz conter de vez.
O grito da rima guardada no forno,
E o contorno no ponto de interrogação,
Que guarda entre pernas,eternas desconfianças,
De suspeita, e traição.


Di Vieira





Nenhum comentário:

Postar um comentário