Total de visualizações de página

sábado, 15 de junho de 2013

#Idade dos sonhos


Lá fora o tempo chora,
Chora em frente à janela,
Chora no frescor da primavera
No viço da idade,
Na idade dos sonhos.
Pranto em tempo de sorriso,
Gotas de lágrimas,no frescor da juventude

Inda nem renunciara a garotice.
E já namorou o perigo!
Saltou algumas barreiras,
Encurtou os abismos entre as fronteiras,
Sabotou a ordem das coisas
Namorou ousadamente as sandices,
Teceu com fios virgens,grandes burrices!


Lançou precipitadamente,
A semente fértil,em um solo quente!
Lá fora o tempo chora!
Repousam as aflitas gotas na janela,
Ela e os pingos ansiosos de chuva.
Olham as finas luvas meio sem graça,
Enquanto bocas agoniadamente atormentadas,
Divulgando bisbilhotices na praça.

E agora?
Chora a tolice, a inconsequência!
Chora o delírio,o encantamento!
Chora o sol, chora o vento, seus momentos de glória
Chora a lua na crescente,
Esperando apesar de imprudente,
O desabrochar da semente, em sua flor,
No canteiro matriz onde repousa feliz,
Uma pequena história de amor!

Di Vieira


Nenhum comentário:

Postar um comentário