#Idade dos sonhos


Lá fora o tempo chora,
Chora em frente à janela,
Chora no frescor da primavera
No viço da idade,
Na idade dos sonhos.
Pranto em tempo de sorriso,
Gotas de lágrimas,no frescor da juventude

Inda nem renunciara a garotice.
E já namorou o perigo!
Saltou algumas barreiras,
Encurtou os abismos entre as fronteiras,
Sabotou a ordem das coisas
Namorou ousadamente as sandices,
Teceu com fios virgens,grandes burrices!


Lançou precipitadamente,
A semente fértil,em um solo quente!
Lá fora o tempo chora!
Repousam as aflitas gotas na janela,
Ela e os pingos ansiosos de chuva.
Olham as finas luvas meio sem graça,
Enquanto bocas agoniadamente atormentadas,
Divulgando bisbilhotices na praça.

E agora?
Chora a tolice, a inconsequência!
Chora o delírio,o encantamento!
Chora o sol, chora o vento, seus momentos de glória
Chora a lua na crescente,
Esperando apesar de imprudente,
O desabrochar da semente, em sua flor,
No canteiro matriz onde repousa feliz,
Uma pequena história de amor!

Di Vieira


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Benditas estradas, sinuosos caminhos

Juliana

Luz, câmera, ação!