Total de visualizações de página

terça-feira, 13 de agosto de 2013

#Amigo



Sobre mim se transforma,
De várias formas,
De todo o jeito,
Te abrigo no peito com tamanha doçura,
Deleito-me em sua candura, respeito sua fala,
E se cala, me dói o peito,
Tento saber o que não diz,
Meu pobre infeliz das cavernas sem eco,
Solução dos meus breves soluços sem motivo,
Despejo em ti, o derretimento dos meus planos,
As mentiras de tantos anos,
E você voa me trazendo calma,
Aquece minh'alma na solidão.
Não amigo, não!
A dor não destrói, modifica.
Mas fica comigo amigo, fica!
Quando encosto a cabeça em teu peito, adormeço.
Esqueço o que acontece lá fora,
Não há mentiras em teus olhos,
Posso ver agora, antes não reparava,
O olhar triste que me esperava,
A voz doce, que emudecia,
E a pureza das flores, 
Que gentil como sempre,
 Você me trazia.


Di Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário