Total de visualizações de página

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

BEM DEVAGAR!




 Conto as teclas,
Pretas, brancas,  brancas, pretas.
Refaço os acordes que marcaram o tempo,
Lentamente me vem a mente a hora exata.
Oh vida ingrata! Mundo louco!
Poderia só por uma temporada,
Te ver enamorada, só por um instante! 
Só por um pouco! 
Desfrutar sua companhia,
Sua alegria!
Mas agora só o piano conta a história, daquele momento
Quando a tecla discordante, amarelava o andamento,
E o meu sonho explodia  como bolhas de sabão.
Ai, como você pôde!!!
Como eu pude me entregar tanto em vão!
O feltro cai leve, pede silêncio,
O sol se esconde em fa bemol ,
Que dó de mim, de você, que dó de nós, do sol!
Dessa dor reverberando em meu peito,
Dessa voz fria do teu abandono,
Me debochando, distraindo meu sono, 
Piano, piano!
Que noite é essa, sem lua, extensa!
Porque não para e pensa?
Pensa no bem que em tudo pode ter!
Pensa no poético coração partido!
Pensa nos amores que ainda vai viver,
Pensa no espaço, nas teclas brancas,
Na longa cauda, nos botões preto, 
Relaxa!!!
Logo tudo se encaixa e se harmoniza,
E suave como a brisa, as batidas do coração,
Marcarão o andamento,
A contagem vai recomeçar bem devagar!
Quem é feliz, não tem pressa!
A felicidade é um período, e período é tempo
E sendo tempo, o tempo certo só o tempo dirá!
Ah! E o seu tempo já chegou!
Ame a vida que escolheu,
Faça alguma coisa que sempre quis,
Porque hoje, é o seu tempo de ser feliz!



Di Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário